segunda-feira, 12 de maio de 2008

A mulher e os cestos



"A mulher e os cestos"

Castelo Branco

Óleo sobre tela

70x80

9 comentários:

JCM disse...

Caro Abílio Victor,

Parabéns pelo blogue. Ficamos a aguardar mais reproduções dos quadros.

Jorge Maia

fp disse...

Olá Abílio!

Quanta poesia! Quanta liberdade!

Parabéns!

Fernanda Pereira

Anónimo disse...

Parabéns pelo blogue.

Estamos orgulhosas!

Tuas Ines e Joana.

Lapin disse...

Fantástico.
obrigada por tudo o que aqui tens.
Desejo-te felicidades.
Dina

Hugo Caldeira disse...

Olá Abílio,

Parabéns pela tua presença na blogosfera :) e obrigado por partilhares a tua pintura sempre bonita e de ambientes únicos.

Abraço.
Hugo Caldeira

Miguel Sentieiro disse...

Não tenho grande educação artística e sempre tive dificuldade em perceber muitos dos quadros expostos em galerias de arte. Os seus quadros revelam aquilo que um leigo procura. A existência de locais onde não se esteve, de gente que não se conheceu, mas que a tela se encarrega de nos fazer sentir.
Parabéns
Miguel sentieiro

sas disse...

Caro Abílio Victor

Foi com muita honra e prazer que convivi consigo durante um ano.
Agora, o tempo traz-me a saudade; a sua nobreza como Homem, a revolta do seu espírito livre e desinteressado, a bonomia do seu trato que cativava os mais incautos, a sua serenidade,as suas histórias, fizeram nascer dentro de mim a admiração e...o desejo interior de um dia, talvez,ser assim e seguir o seu exemplo de Vida.

Com saudade

Marco Fernandes

Rui Pedro disse...

Confesso que fiquei com curiosidade acerca dos seus quadros. Curiosidade aguçada pela sua descrição apaixonada de locais distantes que, para mim, não passam de um imaginário distante. Foi interessante comparar a imagem que criei a partir da sua descrição e a imagem dos quadros. Gostei dos quadros. Obrigado por ter partilhado connosco a sua "visão" de alguns locais do mundo. Aproveito para partilhar consigo algumas das minhas fotografias em www.olhares.com/rssp

BernasLL disse...

Caro professor,

Lembrei-me de si e, consequentemente, dos seus quadros. Espero que continue a pintar e a ensinar com a mesma paixão, e que os seus alunos sejam menos terríveis que a geração de 2006/2007.

Cumprimentos,
Bernardo Luz